sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

my world



A arte da imagem é das mais valiosas que existe. Metes a cabeça, o coração e a alma num simples papel.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

reflection 19

Eu posso sentir falta de toda a gente, mas só a tua vai doer. Posso estar com toda a gente, mas quando estou contigo eu esqueço quem sou. Eu posso ser tudo, mas só tu me fazes ser o melhor de mim. Eu posso gostar de toda a gente, mas só te amo a ti. Eu posso ter o coração cheio de amor, mas só tu ocupas metade dele. Posso ser tudo, mas contigo eu sei que sou uma Cinderela. Eu posso querer tudo, mas contigo eu sei que não tenho hipótese de pedir mais. Eu posso mirar as estrelas todas as noites, mas sei que enquanto estou contigo, não as miro sozinha. Eu posso chorar horas sem fim, mas enquanto estiveres por perto, uma hora já é exagero. Eu posso sofrer até não ter por onde mais sofrer, mas por entre lágrimas e desgostos, encontro o teu sorriso. Por entre embales e gargalhadas, soltas sempre aquele sorriso maravilhoso. Por entre abraços e olhares profundos, há sempre o momento de reflexão. Fazes-me feliz. Prometi-te um 'para sempre' e até agora não tiveste razão de queixa. São anos, anos a cuidar de mim, incansavelmente. Merecias muito, muito mais, mas o melhor que eu posso dar, já te dou a ti. Tudo, és um tudo num à parte. És um brilho lá no fundo do túnel, o lado positivo, o orgulho. O meu amor por ti ultrapassa todas as barreiras, todos os obstáculos, todas as lágrimas. Sobressai-se em todos os sorrisos, todas as alegrias e acima de tudo, nos momentos menos bons, és tu que me dás inspiração para isto. Obrigada. és o único e serás sempre. Amo-te

domingo, 11 de dezembro de 2011

Reflection 18

forever young, forever with you.
Por entre todas as palavras que já disse, nada justifica a minha ausência perante o mundo. A minha liberdade consome-me, destroem-se os caminhos que construí, fico vazia. E tento justificar-me perante tudo e todos, tento encontrar todas as certezas por entre os teus caminhos de glória. A face que tanto admiras perde-se por entre os traços do rosto que crias-te. Nada do que tu dizes faz sentido na minha cabeça, gira tudo à volta de um perfeito que tu mesmo pintas-te, com as cores da tua certeza magnífica. Olha em frente, mas não olhes para mais do que consegues, algo pode acontecer, todos os dias é um futuro. Para trás estão as mágoas e até memórias boas, aquelas que te trouxeram até mim, oh minha gloriosa inspiração, não me traias a confiança. Nos teus olhos realças a pura verdade, uma verdade omitida por todas as tuas grandes qualidades que insistes não demonstrar. A insegurança agarra-te e prende-te num beco sem saída, como posso eu ajudar-te a escapar se negas os factos da realidade(?) Precisas de mim e eu preciso de precisar de ti. Orgulho-me de todos os passos que dás, até os mais fracos, porque foram esses que me fizeram perceber que realmente eu tenho de cuidar de ti. you never had a love. Acho que realmente é uma coisa que temos em comum, grandiosa semelhança e ao mesmo tempo a pior lembrança. Traição, será o melhor nome do meu passado, mágoa será o teu melhor nome, algures passageiro, mas se vimos bem, são factos ligados. Interligam-se na dor da ausência, na dor da insegurança, na dor indefensável e incurável. Talvez esta dor me tenha doido mais a mim, pela pequena falta de fortaleza, talvez seja este o pior obstáculo para algo que queres alcançar dentro de mim, mas é imparável, percorre por todas as minhas veias e ganha ainda mais incertezas no ponto mais forte que temos dentro de nós. Alguém me disse um dia "os sentimentos não vêm do coração, porque o coração é um músculo. Vêm do teu pensamento." Talvez não consigas perceber, mas foi talvez das melhores coisas que um dia já me disseram. E por isso, eu quero partilhá-la contigo. Eu percebo as tuas revoltas, as tuas falhas, as tuas quedas, e quando não tiveres mais ninguém, lembra-te, eu serei sempre a ultima pessoa a partir. E quando quiseres chorar em segredo, lembra-te, eu sou o teu próprio choro. E quando sorrires e não souberes porquê, lembra-te, eu sou a resposta ás tuas dúvidas. E quando nada mais fizer sentido na tua cabeça, lembra-te que me tens como certa. Amigo é aquele que fica para além de todos os compromissos existentes, amigo é aquele que sabe abraçar sem segundas intenções, e a única intenção que tenho para contigo, é a eternidade.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Reflection 17

E nós imaginamos cada passo que damos, e realizamos cada pensamento que nos ocorre, mas no fim é tudo em vão. E magoamos pessoas que não queríamos magoar, passamos por parvos em situações ridículas, erramos, caí-mos e voltamos a errar. Perdoamos coisas imperdoáveis, perdemos pessoas insubstituíveis, tentamos atingir coisas incalculáveis, e tudo gira assim, á volta de actos involuntários e de maneira alguma alteráveis. As águas agitam-se involuntariamente,  as rochas desmoronam-se por si próprias, os oceanos movimentam-se todas as horas e com eles levam vítimas, inconscientemente. O real por vezes torna-se o imaginário, já o imaginário nunca  se torna o real. Memórias trazem-nos o que foi com o vento, o passado agarra-nos e não temos maneira de escapar a isso. Vivemos na incerteza do que já foi vivido, e tentamos recompensá-la com o presente e ás vezes não é exactamente como pensamos que ia ser, são coisas da vida. Eu ergo-me perante as circunstâncias da vida, mas nem tudo é possível de suportar.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Reflection 16

Provavelmente este tema torna-se repetitivo, mas realmente é uma grande incógnita em todas as mentes existentes. O que realmente se entende por 'amor'? ninguém me sabe explicar, ninguém me sabe demonstrar, são actos? são palavras? enigmas? Algo tão inesperado, pelo que consta. Eu, eu percorro todos os caminhos para encontrar definitivamente a sensação dessa palavra, encontrar por entre 4 letras, todos os sentimentos possíveis e imagináveis. É realmente difícil, entre as pessoas que dizem já ter amado e as que amam, vai realmente um passo muito grande, porque sinceramente, acredito que muitas das pessoas que o dizem já ter sentido, não sabem nem da sopa a metade. Eu insisto e persisto nisso, peço desculpa, mas na verdade, isto é mesmo uma das grandes dúvidas da minha cabeça. O amor baseia-se em actos, sentimentos, confiança e intimidade, então digam-me, que nome se dá á intimidade sem nada dos outros aspectos? Inseguranças, dizem-me que é normal, que fazem parte, mas como há confiança e insegurança ao mesmo tempo? é possível? é das maiores contradições que existem, mas também é dos mais factos que oiço dizer. Realmente o tão dito 'amor' é um mar de dúvidas, perguntas sem respostas, algo incrivelmente inexplicável. Em tantas palavras nada consigo dizer, nada consigo explicar, nada é concreto. O abstracto realça-se e digam-me sinceramente, algum dia isto irá mudar?

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Reflection R


Respostas:
Não me desiludis-te, a tua mentira desiludiu-me. Não me magoas-te, a tua atitude magoou-me. Não perdes-te nada, ganhas-te uma certeza. Não és um parvo, és alguém muito especial. És forte, grande, das mais belas pessoas. Desculpar-te? desculpei-te desde o primeiro minuto, mas esquecer? perdoa-me, mas não o consigo fazer. "Não olho nos olhos para as pessoas que me traem" sim, na altura traíste-me a confiança e se queres que te seja sincera, poucas pessoas conseguiriam voltar a ter a minha confiança, mas decerto não consigo deixar de confiar em quem um dia me ajudou a levantar da provável maior queda da minha vida. É verdade, entristeceu-me o tempo que precisas-te para confessares o que tinhas feito, se alguém percebeu? relaxa que não, se eu percebi? acalma-te, não. Foi talvez das maiores facadas que já levei, mas as tuas lágrimas, acredita que mudaram tudo. Tinha todos os argumentos possíveis para nunca mais te voltar a dirigir a palavra, mas o que é que querem? eu não consigo. És das mais puras pessoas que existem e mais ninguém te consegue ultrapassar. Do fundo do coração, um adoro-te.

Pelas ruas da eterna infância.....

Eu fugi, fugi com medo de um dia voltar. Ruas desencontradas e ao mesmo tempo comuns, as ruas que deixam a eterna saudade. Lisboa, minha linda Lisboa, marcas a maior parte da minha vida, foi em ti que cresci, obrigada. Não esquecerei outros lugares, porque por mais importante que sejas na minha vida, parte de mim está longe. Algo indescritível, apenas vivido e sentido, as texturas daqueles prédios, daquela cidade, sentir a brisa, fechar os olhos num banco do jardim. Os pombos do clássico sítio em que os netos passeiam de mãos dadas com os avós. Ai Lisboa a minha, como podes ser tão viciante?

domingo, 6 de novembro de 2011

Strong

"O que não nos mata torna-nos mais FORTES."
Faz muito sentido na minha vida, porque tal como muita gente eu já fui demasiado fraca. Fraca para conseguir suportar uma perda, fraca para não aguentar um não. Fraca para me conseguir levantar, fraca, sim eu fui fraca. Fraca o suficiente para nunca me conseguir tornar forte. Pouco ou nada as pessoas fazem para mudar isso, se são fracas, julgam-se logo fracas para toda a vida, não se erguem, não lutam. Limitam-se a chorar pelos cantos, com medos, incertezas, fraquezas....Eu sei, esse era o meu eu. Costumava ser o meu dia-a-dia. Os meus passatempos, eu era uma fraqueza em si, nada me poderiam dizer, fazer eu criticar, pois era o fim do mundo. O mais verdadeiro ainda, é que não tenho vergonha disso, não me matou, tornou-me mais forte...São as grandes ironias da vida, uns ficam outros vão. As pessoas marionetas, essas são aquelas que mais piada me dão, porque tal como o nome indica, são marionetas nas mãos de pessoas que se julgam mais que essas mesmas marionetas, usam-nas, julgam-nas e no fim? revelam-se realmente os mais fracos. Sentimentos desaparecidos, hoje escondidos. Todos temos um querer igual, ser feliz, mas para isso, é preciso seguramente, a mudança e essa nem todos a sabem suportar.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Reflection 15

Ás vezes fecho os meus olhos e tento recordar-me de tudo para matar as saudades, mas na verdade as lembranças só me trazem mais saudades, saudades boas. Daquelas que enchem o meu dia de alegria, é tão bom poder saber que há lembranças de "nós", é tão bom saborear os nossos momentos todos os dias, é tão olhar para trás e sentir que já me sentis-te. Vivo intensamente a arrastar o passado, porque é algo que eu quero levar sempre comigo, sem quaisquer remorsos ou preocupações. Há sempre alguém que nos marca verdadeiramente, deixa a pegada cravada no coração, têm a chave de todas as fechaduras do nosso corpo, sabe-nos de cor, é as nossas lágrimas e sorrisos, percorre o nosso corpo numa simples brisa fresca, há sempre alguém que nos faz sentir bem. Obrigada por seres tu, meu guardião, meu paraíso. Restabeleces as fraquezas do meu corpo, destróis os meus erros, quebras os obstáculos, acompanhas-me neste caminho interminável....

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Reflection A

Eu pensei que sim, que conseguia esquecer tudo aquilo que dizia já estar esquecido, mas afinal quis acreditar numa coisa que o coração não pode aceitar. Eu perdi tanto jogo durante este tempo, baseei-me no passado com medo que o futuro fosse semelhante e fechei os olhos àquilo que realmente importava. Houve alguém que sempre me disse que eu me ia arrepender de todas as decisões que estava a tomar, mas eu, nunca quis confiar nessas palavras que para mim, não faziam sentido. Não há culpa sem ter culpa, mas quando há culpa, há culpados. Hoje acordei de tudo e percebi que a razão disto tudo, era o meu medo e os meus receios. Transformei-te num caminho perigoso e decidi não arriscar e hoje, hoje caí completamente na realidade, perdi tudo. Já não sinto aquela necessidade de dar uma gargalhada quando estou com alguém, já não sinto o arrepio na espinha, não confio em ninguém, algo está errado, acabado, indefensável, porque apenas tu fazes falta. Algo entrou em mim, incontrolável, intocável, estranho, mágico. SAUDADE, foi isso que me invadiu, as asas do desejo, algo fazia falta, a queda foi necessária senão nunca daria valor ao verdadeiro sentimento. És a gota de água num deserto, o último grão de açúcar de um bolo, o pedaço de sol num dia de chuva, a glória de uma derrota. És-me. Eu não mudei, eu acordei. Voltei atrás, satisfiz o desejo da saudade com meras recordações, imaginei-te da maneira como te conheço, eu sei-te de cor, a luz transcendente. Nada me faz sentido, sem alguém como tu. "Fazes-me bem", como mais ninguém o sabe fazer. Para ti nunca será tarde, estarei sempre cá, recua, eu ajudo-te a avançar, avança, eu recuarei para brilhares sozinho, mas nunca, nunca caías, ergue sempre a cabeça. E quando algo correr mal, lembra-te do terreiro do paço. Ich liebe dich

sábado, 8 de outubro de 2011

Reflection 14

Sinceramente já nada me importa, já nada faz sentido na minha vida e o que realmente de certo eu tenho, é a ilusão. Pensei que te tinha esquecido definitivamente, mas afinal esquecido é a única coisa que tu não estás. Tentei seguir a minha vida em frente, mas sempre que dava um passo algo me puxava para trás, eras tu, eram as malditas lembranças que um dia eu jurei esquecer e até agora só me atormentam mais e mais. Eu não mudei a minha opinião, simplesmente parece que recuei no tempo e agora, todas as noites me vem à cabeça tudo o que um dia nos tornou num só e em contradição, penso ainda mais no que nos fez virar costas na altura. Eu não tenho saudades tuas, pelo contrário, eu só quero que desapareças de uma vez por todas da minha vida, eu fui feliz contigo, é verdade, mas foi tudo uma mentira, uma mentira bem inventada. Bem vivida por ti e por nós. Eu não percebo o porquê da nostalgia de algo, não chego a uma conclusão definitiva, faz-me bem e por outro lado só me destrói. Lembro-me de quando tocava na tua face, tão meiga e o quanto me doía olhar-te nos olhos e não sentir aquela sinceridade e honestidade que uma mulher precisa de sentir. Eu certamente não poderei olhar para mais ninguém como um dia olhei para ti, fiz do meu mundo o teu e de ti o meu mundo, acreditei no amor que inventas-te, eu estava cega. Criei uma pessoa à minha altura, com a tua imagem facial e fui acreditando que essa pessoa criada na minha cabeça, nos confins do mundo, eras tu. Mais ninguém me poderá trazer os momentos de bem-estar que tu me trouxeste, isso podes acreditar. Foste tão importante na minha vida e mesmo a ilusão, essa nunca me soube tão bem como soube contigo. Sim, porque realmente a ilusão pode ser boa. Eu nunca te disse, mas.......eu amo-te.

sábado, 24 de setembro de 2011

R.

Eu gostaria de conseguir dizer tudo num simples texto, mas na verdade, não consigo. És muito mais do que aquilo que as pessoas pintam e hoje, o meu maior medo, é que um dia te magoes, ou que alguém te magoe, porque por mais erros que tenhas cometido, não mereces desgosto algum. Eu olho para ti e tu fascinas-me, de todas as maneiras possíveis e imaginárias, sabes porque? Porque com gestos tão pequenos, consegues fazer de ti uma pessoa tão grande, és rico em qualidades e admiro ainda mais isso em ti. Já me disseram que a perfeição não existe e realmente, é a verdade mais verdadeira que já ouvi, mas acredita, tu és a pessoa que mais próximo disso está. Com tão pouco tempo, consegues ser mesmo muito especial aqui dentro e agradeço-te por isso. Agradeço-te por não me julgares por aquilo que os outros dizem, por todas as palavras que me dizes e por compreenderes sem um pé atrás e a cem por cento as minhas opiniões, os meus contras e acima de tudo, os meus problemas. Sinceramente, à primeira vista não pareces ser o que és realmente e dou-me por muito privilegiada por te conhecer e por saber que confias em mim. Neste momento, és das pessoas mais próximas de mim e não trocaria 1 hora de boa conversa contigo com um dia de pura vadiagem com 10 conhecidos. Tu chegas-me para conseguir ter uma boa gargalhada, um bom momento e realmente, uma boa hora de boa inspiração. Eu sei que demorei até te fazer o prometido, mas como sabes, para uma boa escrita é sempre preciso ter uma boa inspiração. Eu perco-me nas palavras quando estou a escrever para ti, baralho-me nas entrelinhas e confundo-me nas letras, mas tudo tem explicação, e a maior delas todas és tu! Meu porto de abrigo, eu sei que serás sempre um bom amigo. Não te quero perder, por nada deste mundo e do que depender de mim, lutarei sempre por ti, por mim e por nós. Fazes-me realmente bem, e o rio Tejo para mim, passou a ser um bom abrigo das más alturas. Dás-me forças para continuar. Obrigada.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Reflection 13

"Sabes pensar?"
Um pergunta que ao inicio não me fascinou nem me levantou qualquer tipo de intriga ou interesse, mas, pensando bem é talvez das perguntas mais inteligentes que já me fizeram. Bem, sinceramente, a mais confusa e complicada de responder, a resposta que me ocorreu de imediato, é clara e óbvia: sim! Mas vendo bem, suscita mais uma boa pergunta, "e o que é pensar?"......Bem, vendo a pergunta colocada neste modo, não consigo encontrar resposta possível, entrei em completo colapso com a minha mente. Eu pessoalmente achava que nada destas teorias me poderiam baralhar a cabeça, mas a verdade é que existem coisas que nos reviram e viram a cabeça de todas as formas possíveis. Continuando a constatar o facto da misteriosa pergunta, pergunto-me a mim própria vezes sem conta, "mas afinal o que é pensar?", são teorias transmitidas através de uma informação? ou são informações constatadas através de uma teoria? Mas porque raio se foi ele lembrar deste facto? Realmente é algo que nunca  foi esclarecido, nem respondido. Porquê? Porque é que o saber se baseia no pensar? Ou melhor, visto por outro lado, o pensar baseia-se no saber! Ela há coisas que realmente me deixam estupidamente pasmada! Estou numa luta intensiva, uma luta até à resposta, digam-me, mas afinal, O QUE É PENSAR?

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Reflection 12

Sabes o mais ridículo disto tudo? É que consegues ocupar todo o meu espaço cá dentro. És casmurro, teimoso, ás vezes acho-te o pior de todos, mesmo sabendo que melhor não poderia ter. Hoje fizeste-me sentir coisas que nunca gostaria de sentir, sabes que vivo da liberdade e sentir-me presa é talvez das sensações mais humilhantes que já senti. Ás vezes é bom, para poderes ensinar-me, mas não sei como é que já não percebes-te que isso comigo nem sempre resulta. Deste-me a melhor infância de sempre, sei que hoje cuidas tu de mim e amanhã serei eu a cuidar de ti, mas amarrares-me com correntes não vai fazer com que eu não vá embora um dia. Isso vai acontecer, mais cedo ou mais tarde, isso não é o melhor para mim, tu sabes disso. Viver presa, numa ilusão, numa completa tristeza emocional. Eu amo-te, a ti e a mais ninguém. Vivo na esperança de um dia amar tanto uma pessoa como te amo a ti, viver uma história de amor como tu vives-te (com os seus altos e baixos), fazer tudo por alguém, como fizeste por ela. Ser alguém na vida, como tu és para mim. Somos tão iguais e ao mesmo tempo tão diferentes, eu necessito de sentir o vento na minha cara, o fresco da noite, o calor do dia, o som do silêncio, o silêncio dos pássaros, os murmuros da madrugada, o nascer e o deitar do sol. Tu dispensas isso tudo por um dia de trabalho para me manteres sempre bem na vida, mas isso não é razão de me quereres tornar como tu. Tu já sabes, que eu sou tu acima de tudo, mas não posso ser o que tu um dia querias que eu fosse, porque isso está completamente atrás do que eu já alcancei. Tu és o meu maior orgulho, mas não posso fazer do meu orgulho, a minha vida. 

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Reflection 11

Não sei o que escrever, estou completamente num momento sem inspiração, mas vou escrevendo, porque pedis-te. Poderia falar de ti, mas pouco tenho para dizer, porque há coisas que se sentem e se vão gostando, sem qualquer explicação verbal. Poderia explicar os nossos momentos já passados, mas sinceramente nem eu sei explicar. Poderia descrever-te, mas nem a mim quase me sei descrever e não sou ninguém para o fazer. Poderia dizer que és comum a toda a gente, mas és completamente fora do vulgar e jamais do meu alcance. Tenho pena do meu passado e ainda mais do teu, ambos sabemos que nenhum mereceu o que sofreu mas é bom poder partilhar isso contigo. O mais estranho de tudo é que eu já consigo confiar em ti e sinto que confias em mim, apesar do quão fechado és. Obrigada, obrigada por seres assim como és quando estás comigo. Obrigada por seres tão verdadeiro.

"For a second you were here,
Why you over there,
Its hard not to stare the way you moving your body,
Like you never had a love,
Never had a love."




quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Reflection 10

Já me perguntaram onde vou encontrar inspiração, poderias ser uma boa desculpa, tens tudo o que me poderia inspirar, mas não. Sinceramente eu inspiro-me em mim mesma, no que sinto, no que vejo, no que acho e principalmente no que vivo. As palavras vão nascendo por entre os meus pensamentos, criam-se, consomem-me por completo, não lhes resisto. É como o chocolate acabado de derreter, a escorrer pela colher de pau, é uma tentação, não....será um desejo?! uma forte fonte de libertação de mim mesma e dos meus fantasmas, sim é isso! Uma recuperação de um dia exausto e comprido, uma forma de viajar pelo meu sono breve e ao mesmo tempo profundo....uma maneira de voar por mundos criados pelas minhas fantasias. Expressar o que vai na alma, encontrar-me a mim mesma e perder-me por entre os meus curtos pensamentos. PÁRA! Estás-me a consumir, a fazer parar-me no tempo. Porquê? porquê esta necessidade imensa de me absorver de tudo à volta? Porquê? porquê que me fazes tanto mal e ao mesmo tempo crias um bem-estar profundo e uma tranquilidade imensa. Eu odeio-te e adoro-te. Desaparece, mas permanece sempre comigo. Cala-te, mas mantém sempre a última palavra. Esquece-me, mas nunca digas que não me conheces-te. Evapora-te, mas leva-me contigo.....

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Reflection 9

As pessoas vão-se descobrindo, vão-se conhecendo a si mesmas. Criam ilusões e desiludem-se, magoam e são magoadas. Quebram e são quebradas. É assim mesmo, não há escolha. Eu admito que já magoei e já saí magoada, já criem uma ilusão tão grande em cima de uma pessoa tão pequena e acabei por me desiludir, quebrei tão de repente e já fui quebrada. Caí e já fiz cair, mas já não vale a pena sofrer por algo que já aconteceu, uma lágrima não vai mudar o passado muito menos fazer um presente melhor. De que vale criar ilusões se já se sabe que não passam disso mesmo, ilusões? É tão doloroso saber que o destino já está traçado e que esta luta compulsiva de dia para dia no fim, não vai valer de nada. Eu sonho, cada dia mais, deposito os meus sonhos em grandes pessoas, luto por eles e sou julgada por muitos à minha volta, mas pouco me afecta, torna-me ainda mais forte e segura de mim mesma. Eu tenho medos, tu tens medos e eles têm medos, já fazem parte de nós, desde o primeiro dia e lá no fundo todos nós sabemos disso. As incerteza são mais um fantasma criado na cabeça das pessoas, muitos fogem com medo de ter de escolher, para quê? adiar uma coisa que só vos vai atormentar mais e mais e mais....?! Foram fortes suficientes para vir ao mundo também o são para fazer as vossas próprias escolhas. É difícil, ás vezes dói mais do que acharíamos que ia doer, mas tem de ser, mais ninguém poderá fazer por nós próprios. É quando nos revelamos mais fortes que os invejosos revelam-se mais fracos, porque o fraco não é quem é julgado e humilhado em publico, mas sim aquele que humilha para subir mais na consideração dos outros. Forte é quem se levanta da humilhação sem ter de descer ao nível de quem o fez cair, assim sim, revelas-te um verdadeiro vencedor, porque tu dependes de ti próprio e não de quem está à tua volta. Fazem parte de ti, mas não são tu próprio. Aprender faz parte, todos os dias é-te imposto um obstáculo, tens de saber lidar com ele da melhor maneira, dar a volta à situação e mais uma vez, revelas-te um verdadeiro lutador. Eu um dia disse que gostaria de recuar no tempo, mas isso foi talvez a maior barbaridade que alguma vez eu disse, porque se eu pudesse recuar no tempo nunca iria aprender a seguir em frente, iria estar sempre a recuar em todos os meus erros e nunca ia perceber realmente o que é verdadeiramente a "dor" e o erro.  Eu sei que todos nós sofremos, todos nós lutamos, todos nós vivemos vidas diferentes, mas TODOS temos o mesmo final.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Desculpa

Eu tenho tanto para te dizer, coisas que nunca pensei ter de dizer, coisas que me invadem o pensamento todas as noites. Tenho saudades do que éramos, tenho saudades dos abraços e das tardes que passávamos, só eu e tu. Marcaste-me tanto, de todas as maneiras possíveis, positiva e negativamente. És a única pessoa que eu tenho o maior medo de perder, porque sinceramente és tudo o que uma pessoa pode querer. Chegas-te na altura certa, na hora H e agradeço-te tanto por isso e por muito mais. Não me julgues pelo que se está a passar porque era a última coisa que eu queria que acontecesse. Quando me senti só, foste tu que tiveste lá, quando o mundo me caiu em cima, foste tu que o levantas-te. Quando pensei que já não tinha ninguém e que já não havia volta a dar, deste-me esperanças e força. Não me passaria pela cabeça um dia magoar-te ou quebrar-te, porque estás acima de tudo e de todos. Tenho tanta gente boa em mim, mas tu és inacreditavelmente espantoso, destacas-te em tudo, o teu sorriso é insubstituível e quando alguém te magoar, magoar-me-à a mim também. Desculpa se te magoei, desculpa se te quebrei. Desculpa se esperavas mais, mas agora eu só te posso dar o que tenho e não te posso dar mais. Eu falhei contigo, falhei comigo, falhei connosco e julgo-me todos os dias por isso. Merecias mais? sim, merecias. desculpa se o que tenho é pouco, se não lutei o suficiente e se te deixei cair quando mais precisavas. Desculpa se não correspondi ás tuas expectativas, mas por enquanto o que eu quero que me dês, já me dás. Não me peças mais, por agora....Eu adoro-te, do fundo do meu coração.  

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

something

Nasci, cresci, aprendi, amei, enterrei, sofri, perdoei, lamentei, saltei, gritei, ri, chorei, lutei e perdi. Venci e aqui estou, já te esqueci. Já te enterrei, já te perdoei e já nada teu vive dentro de mim. Morres-te aqui dentro. E agora? agora és tu que sofres, choras, lamentas, lutas e perdes. Agora sou eu que não te quero, sou eu que te deito fora. Agora sou eu que estou prisioneira de outro, fui eu que me cansei de ti. Pára de me seguir, pára de pensar que ainda te amo, pára de te iludir, pára de me perseguir, pára de sonhar, pára de achar que o mundo gira á tua volta, pára de fingir que te preocupas com o meu bem estar! Chega de falsidade, chega de hipocrisia! Ambos sabemos que já não há volta a dar, que o amor acabou por fracassar! Chega de ilusões, dramas e sentimentos onde não existem. Chega de sofrer por algo que desapareceu, morreu e já está mais que enterrado. O adeus foi definitivo, por mais que achemos que não, ele foi dito. Um adeus sem retorno. A história acabou, foram 5 anos e não foi o suficiente para um amor verdadeiro, não estávamos destinamos. Foi assim, já estava escrito. um ultimo adeus...

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Reflection 8

Eu sabia, eu sabia que isto ia acontecer, ias acabar por me dar valor, aquele valor que não me deste quando eu chorei por ti. Eu poderia ter-te dado tudo o que querias, mas deitaste-me ao lixo como se deita uma pastilha já mastigada. Eu achava-te graça e até que alimentavas um certo carinho dentro de mim, mas aconteceu, tiveste-me à escolha e decidis-te de acordo com a razão e não de acordo com o que sentias, hoje arrependes-te da tua decisão, mas se me conheces tão bem sabes que eu não gosto de ser segunda escolha, nem para ti, nem para ninguém. Desculpa se ás vezes sou demasiado fria ou penso coisas que não deveria de pensar, mas sinto que levo tudo nos ombros por um erro teu e não meu. Eu esperei por ti, mas vieste tarde e deixaste-me completamente na incerteza, na insegurança e de pé atrás com tudo e talvez com todos. Foste muito importante na minha vida, eu sentia-me tão bem contigo e pensei que era mutuo na altura, até que levei uma valente facada e parecendo que não, não tinha como fugir dessa mesma. Não me peças para não falar do passado, porque ele nunca vai estar a teu favor e muito menos vai ser esquecido só porque tu queres e porque te magoa. Também me magoa, também me dói e para além disso, recorda-me imagens que levou ao fim de tudo. And you said "i love you" but it's too late.

terça-feira, 19 de julho de 2011

I (am)

Tornei-me assim, numa pessoa diferente, com os seus objectivos e os seus sonhos. Tal como passaram por cima de mim para alcançar muita coisa eu passo por cima de quem quer que seja para chegar até aos meus sonhos. Não preciso de mais ninguém na minha vida, tenho as pessoas mais lindas do mundo dentro do meu coração e não é por tu existires que elas deixarão de o ser. Metes-me nojo de todas as maneiras possíveis, cresce como pessoa, cresce como homem que já devias de ser! Para quê aquelas palavras que só me souberam iludir? Só tenho pena que irás fazer com elas o que fizeste comigo. Não mereciam, mas tal como eu, vão cair no erro de acreditar no que dizes, nas promessas que fazes e no sentimento que dizes ter. Nunca fui diferente, fui tão igual a elas que ainda nem acredito. Eu já não volto a cair mais, já não sou mais humilhada, já ninguém me volta a escorraçar, já nada me impede de fazer o que eu quero, já estás fora da minha vida e pára de dizer que um dia me apaixonei por ti quando tu é que sentias saudades quando não dava sinal de existência. Pára de te achares alguém, quando és igual ou pior que eles, pára de magoar as outras pessoas, pára de invadires corações inocentes, pára de ser tão igual a todos, pára de me irritar, pára! Revolta? não! Sentimento explosivo? talvez... Foi 1 mês atrás de um amor não correspondido e a culpa foi tua, desde o momento que me fizeste acreditar que o sentimento era recíproco e à primeira oportunidade cansaste-te e tentas-te o mesmo trunfo com outra. Deixa que a culpa também é dela, pois ela sabia e só quis ser mais uma carta do teu baralho, pois bem, jogaste-me e fui fora, já não faço parte do jogo! Ponto a menos, enfraqueces-te, eu sei...e porquê? porque fui a única rapariga que não caí nos teus braços em 1 semana.....

quinta-feira, 30 de junho de 2011

miss u

Porque é que és assim? Como conseguis-te cagar numa amizade que tanto lutei e que tanto cuidei? como é que cnseguis-te deixar ir tudo em vão? como é que não conseguis-te perceber que tudo o que fiz, tudo o que disse e as vezes que te dei na cabeça foi para teu próprio bem, em todos estes anos de vida, foste talvez a melhor pessoa que conheci, porque no momento que senti que ia completamente desabar, tu apareces-te e deste-me a mão sem me julgares. Já passou tanta gente por mim, algumas nem sequer consegui olhar nos olhos, outras passaram simplesmente, mas tu, tu foste algo inexplicável. Eu admito que tenho saudades, admito que foste realmente indispensável na minha vida, mas também me magoas-te e me trais-te sentimentalmente, pois juras-te algo que sabias que nunca irias conseguir cumprir. Promessas e mais promessas deixadas ir com o vento e isso talvez possa ser a única coisa que ainda me consigo orgulhar....pois elas foram, foram porque tiveram de ir e já nada nem ninguém as conseguiria agarrar. Acredito que ainda conheço muito de ti e que muitas vezes quando estás sozinho, pensas que era nesses momentos que eu lá estava e que nem havia tempo para nostalgia ou solidão. Eu falhei, prometi que nada nem ninguém iria deitar a amizade abaixo e acabou por desmoronar e por isso, um grande desculpa. miguel

Ticket to Heaven


"I'm walking a wire, it feel likes a thousand ways I could fall
To want is to buy, but to live is to die and you can't take it all
And everything is said and done I won't have one thing left
What happened to everything that I ever known

'Cause all he gave me was this ticket to heaven,
That ticket to heaven,
Said to lie in the bed that you make
And now I'm restless and I'm running from everything,
I'm running from everything, I'm afraid it's a little too late"

segunda-feira, 20 de junho de 2011

reflection 7

Não percebo, não percebo o que se passa comigo. Este desejo profundo que me consome de dia para noite, foram apenas segundos e bastou para que tudo voltasse para dentro de mim. Como é que um passado volta sem que nós consigamos parar? Em apenas algumas horas fizeste-me sentir a mulher mais concretizada de sempre e isso não dá para agradecer. Arrependo-me tanto de tantas coisas dessa noite, arrependo-me profundamente do meu não e do tempo que desperdiçei. Arrependo-me das vezes que pude e não fiz, arrependo-me de ter ficado pelos olhares e pelos toques, arrependo-me de não te ter feito perceber o que eu sentia. Arrependo-me de tudo mas o tudo não chega. Chego a um universo de dúvidas e de incertezas, de porquês e de vários talvez, achei-me grande demais para esquecer e hoje sinto-me fraca demais para conseguir. Os teus olhos e a tua maneira de ser faz-me ficar espantada, encantada, desamparada. Diz-me de onde vem isto tudo (?), diz-me como, porquê e se é mutuo (!?). Não te amo, mas sinto-me completamente sufocada com isto tudo, são tantas emoções e nenhum sentimento. Dá-me um sinal, é tudo o que eu preciso...

quinta-feira, 16 de junho de 2011

reflection 6

Há dias em que a tua vida parece um mar de rosas, onde tudo é perfeito e belo, onde não há nada de errado, onde o certo está sempre em primeiro e onde a lealdade invade todo o teu ser. Há dias em que nada consegue trazer a tua tristeza e que pensas que tens tudo na tua mão. Há dias em que observas os teus amigos e dizes com todas as forças "eles ficarão comigo nas boas e nas más alturas, nos erros e nas quedas. Nas piores fases da tua vida e decerto farão parte das melhores fases." e quando isso tudo desvanece apenas fica um vazio, dás conta que nada é para sempre, mas que há sentimentos eternos, dás por ti no fundo do poço sem ter como subir. Os teus verdadeiros amigos desaparecem, como uma folha que vai com o vento, começas a vencer e sais a perder. E a tua vida é um mero mar, quando duas ondas chocam nas rochas nunca voltam a ser as mesmas tal e qual como tu,  quando a vida te dá um valente empurrão nunca voltas a ser o mesmo, tentas e lutas para que tudo volte, mas nunca é suficiente. Haverá sempre alguém que realmente estará sempre ao teu lado, talvez a ultima pessoa que imaginarias e aí vais ver, que os teus verdadeiros amigos estavam perto demais, tu é que nunca os conseguis-te ver. Talvez a chuva traga de novo aquela gota que tanto me faz falta, talvez os ventos do norte tragam de volta aquele ar fresco que eu preciso, talvez a água do mar traga de volta aquela onda que me faz pensar, talvez o calor do verão traga de volta os antigos momentos passados á beira-mar com os que tanto amo. A ultima coisa que direi não será um adeus, porque nunca conseguirei virar as costas a quem chamei de melhores amigos.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

reflection 5

É o preconceito que hoje envolve a população mundial, tornaste diferente e é bilhete directo para a descriminação. E o tempo vai passando e quanto mais passa mais as pessoas se revelam donas do normal, presas á tradição, unidas com o dito como "perfeito" quando o "perfeito" é o mais imperfeito de tudo, quando o perfeito é o diferente e o fora do normal. E se tudo o que é o normal for o diferente? e se tudo o que é dito como tradicional já esteja ultrapassado? Falas mal do que é certo para ti e eu digo que o que é certo para ti é ridiculo para os outros, se achas que é assim tão fora do normal o que vês, então porque é que te julgas original, mente aberta e artista? Arte não se reflecte só no que fazes, se o fazes bem ou mal, ou até se o que fazes é bonito, arte reflecte-se nisso e também na maneira como pensas, ages e reages ás diferentes pessoas, ás diferentes maneiras de pensar, de gostar e de agir. Julgas-te a perfeição, quando a perfeição reina em quem te acha ridiculo, humilhas-te a ti próprio e ainda achas isso a melhor coisa do mundo? Quanto mais criticas, mais te interras. Quando mais falas, mais merda saí da tua boca. Quanto mais ages, mais me fazes achar que és o maior deles todos. Acho que sim, que este não é o teu lugar.
Por isso pessoal, quebrem as barreiras, fujam do preconceito, unem-se aos vossos e se poderem aos diferentes. Não tenham vergonha de mostrar o que são, porque os que criticam são os que menos o são!

quarta-feira, 18 de maio de 2011

não queria....

Eu não queria que isto chegasse a este ponto, ter que me contradizer em pleno espaço mundial. Naqueles dias dizias coisas bonitas e punhas-me a mão na cabeça, levantaste-me no momento que achei que ia cair de vez. Achei que tudo já era em vão e fizeste-me ver que as coisas não eram assim e que venceria qualquer luta se fosse forte e soubesse levantar a cabeça. Há amizades de 2 dias, a nossa é pouco mais que isso, mas achas que isso faz com que seja mais fraca? não! porque talvez não saibas, mas eu dou-te tanto valor como uma amizade de 5 anos. Não quero que vejas isto como um pedido de desculpas, porque não o é, sabes que não o vou pedir, porque sei que naquele momento me fizeste sentir como te disse, não repito porque já não faz sentido, mas tal e qual como leste o meu blog para te insultar, agora lês para te ilugiar. Não sejas parvo só porque és demasiado orgulhoso para vir falar comigo, não o sou, apenas custa-me encarar coisas que já te disse. Fui bruta? talvez, mas foi a melhor maneira que arranjei para me expressar e se isso te magoou, desculpa, mas não era essa a intenção. Tenta ler nas entrelinhas, porque se me conheces tão bem, sabes que metade disto, É PALHA. Não, não te deixei nem te vou deixar e se é isso que sentes, então porque que perderia tempo contigo? Não vou explicar-me mais, apenas espero que mais uma vez isto chegue para te explicar o que realmente se passa comigo. Lê, re-lê e contra-lê. entre linhas......

domingo, 8 de maio de 2011

"Vida de um skater" por Carla Carvalho


Ricardo Gomes

Ricardo Gomes

André Dias

Desconhecido

Desconhecido

Ricardo Gomes

Desconhecido

quarta-feira, 4 de maio de 2011

reflection 4


E mais uma vez fui usada sem ter como fugir disso. Achei que desta é que era, porque já a minha mãe me dizia "á terceira é de vez", mas enganei-me, tentei manter uma esperança mesmo sabendo que a qualquer momento me podia desiludir. A culpa não foi tua, descansa, foi minha, por ter sido demasiado ingénua e achar que eras o mais verdadeiro comigo. Tu rebaixaste-me á humilhação e talvez seja essa a única coisa que nunca te conseguirei perdoar. Considerava-te um amigo, um pilar na minha vida e cheguei a achar que um dia poderiamos unir laços. És um bom actor e nisso eu tenho orgulho. Gostava de poder dar-te esta 'carta', porque até o coração mais azedo merece saber o quanto as pessoas o admiram. Sim, eu admiro-te, por me teres feito aprender de vez, que para confiar é preciso muito mais do que eu dei. Hoje deitei a primeira lágrima por ti e talvez seja este o meu maior arrependimento. Não és desilusão, és apenas uma ilusão criada na minha cabeça. Se fui estupida em ter-te apoiado quando mais precisas-te? NÃO! Porque nunca deixei ninguém cair e não era agora que o ia fazer. Só te agradeço por me teres proporcionado todas aquelas boas conversas e termino por aqui, porque para ti, meio texto basta.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

reflection 3

Fotografia: Carla Carvalho
Modelo: Inês Furtado
AudioVisuais - Dor

Era noite e percorrias o meu pensamento, os olhos fechados e a pensar em ti e em como era bom poder sentir os teus braços nos meus. Foste como um vírus que invadiu por completo o meu bem estar e o meu corpo. Não consigo perceber o significado destes sintomas, será amor ou apenas uma saudade aterrorizante? Sensação boa e ao mesmo tempo sufocante. Tu controlas-me, de todas as maneiras possíveis, invades-me quando e como quiseres. O tempo pode passar e o mundo pode desabar, não consigo tirar-te da minha cabeça. Tu és como um pedaço de vida dentro de mim e eu um pedaço de ti. Tens poder sobre mim e mesmo que eu queira, tu és incontrolável. Ai! como é bom poder sentir isto, poder ter-te nos meus braços quando eu quiser. Ai! como é bom saber que estás comigo, no bem e no mal. Ai! como é bom este sentimento. E tu entras e reentras no meu pensamento, 24h por dia, 7 dias por semana. Sei que isto não passa de um capricho, mas não quero deixar de o sentir, fazes-me sentir realizada e vencedora. Percorro por dentro dos teus olhos e isso, neste momento, é a coisa que me faz mais feliz.

domingo, 24 de abril de 2011

reflection 2


Ás vezes fico noites inteiras a pensar como é que isto tudo se foi passar, como é que promessas e juras foram com o tempo? dizem que a resposta está mesmo dentro de mim, eu é que não a quero ver. A desilusão sempre foi o teu ponto mais forte e mesmo quando dizes que não, só dás mais razões para essa ser a realidade. E eu posso exprimir-me da maneira que eu quiser, porque até isso tu já criticas. A minha maneira de ser, as pessoas que agora fazem parte da minha vida e até ela mesmo, já não fazem parte de ti, já não tens que saber de nada, porque para mim, tudo morreu. E os dias passam, as pessoas crescem dentro de mim e eu atrevo-me a dizer que agora sou feliz, tenho as melhores pessoas do meu lado. Aquelas que sempre acreditaram em mim, me limparam as lágrimas e quando me deixaste cair, me levantaram. Não faz sentido este sofrimento constante, porque se realmente o que tivemos foi amor, agora não sentiria que estou melhor sem ti. Eu sei que também errei, sei que também magoei e que também fui embora várias vezes sem avisar, mas tu erras-te vezes sem conta, destruíste-me por destruir, acabas-te com uma amizade sem explicação e isso tu sabes, que nunca te irei perdoar. Sempre foste inseguro nos teus sentimentos e quando finalmente ganhei forças para te esquecer, tu atacaste-me de uma maneira inexplicável. Não soube lutar contra este desejo, contra este amor, mas consegui acabar com tanta angústia e acredito que acabei com a tua também. Fomos importantes um para o outro, não nego, mas também sei que fomos o maior ponto de destruição e que agora estamos melhor um sem o outro. Só espero que nunca desistas dos teus sonhos e que sempre que caíres, te levantes e que ergas a cabeça, porque para à frente é o caminho. Nunca olhes para trás, porque o passado não voltará mais e as pessoas que lá ficaram, não voltarão.

reflection 1

E foi assim, tão de repente. Num dia estavas aqui e no outro já tinhas sido levado por outro alguém. Para ti, meia página não chega, és das pessoas mais belas que passaram na minha vida, tu chegas-te para ficar e disso eu tenho a certeza, por mais desavenças que tenhamos, nada chegará ao fim. Eu sei que por vezes sou teimosa, arrogante e tudo o que detestas numa pessoa, mas sabes que o sou porque te amo e porque todos os dias ganho cada vez mais medo de te perder. Sou chata e talvez a mais insegura, mas também sou a que mais te dá importância, a que mais te ama e a que mais te apoiou e te apoia. E nada explica o sentimento que percorre as minhas veias, nada consegue ser tão verdadeiro como isto. De nada serve agradecer, porque o que tu fizeste por mim não tem agradecimento possível, foste forte pelos dois, lutas-te pelos dois e nunca me deixas-te cair em mãos erradas. A única coisa que eu não quero neste momento, é perder-te mais uma vez, porque eu sei, que a nossa amizade é como o céu e o mar, são impossíveis de separar. Farei tudo por tudo para nunca te deixar ficar mal, para seres o homem mais feliz, porque eu sei, eu sei que por mais distantes que estejamos, o sentimento continua dentro de nós.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

memórias

sentimentos são apagados com o tempo, memórias são restabelecidas com o vento.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

ANA

Um dia olhei para todo o nosso passado e vi que nada era ao acaso, prometi-te que nunca te ia deixar cair e mesmo chateada eu tive sempre lá para te ouvir. Reflecti e então pus-me a pensar, porque é que a nossa amizade um dia teve de esperar? A vida é cheia de bons momentos e acredita que já fazes parte dos meus sentimentos. Não chores por algo que perdes-te e ergue-te por algo que aprendes-te, porque sim, isto ajudou-te e nada vai ficar assim. Por mais amigas que eu tenha não deixo que ninguém te faça sofrer, e antes que ela acabe de o fazer terá de passar por cima de mim, para o finalizar. Foram anos sem saber o que te dizer e hoje prometo-te não te deixar sofrer, mereces o mundo e tudo mais, como tu não há iguais. Olha para ti, olha para nós, olha para tudo e agora diz-me, achas que ela merece o teu mundo? És mais forte que isso e aqui ninguém te julga e eu tenho a certeza disso, porque para o fazer terão de me fazer render.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

princesa

Era tão fácil de falar se não passasses apenas de uma conhecida, era tão fácil explicar o que eu sinto se me passasses ao lado, era tão fácil medir o tamanho do meu sentimento se em cada frase não te fosses tornando mais importante para mim. Passamos por tanto e admito que este amor já foi ódio profundo, mas confesso, que quando te chegas-te perto de mim descobri a pessoa mais maravilhosa que alguma vez conheci. Tu não és uma amiga, uma melhor amiga, nada disso, és sem dúvida alguma a minha princesa. Como em tão pouco tempo consegues ocupar um grande espaço dentro de mim, como consegues manipular todas as minhas decisões com um simples olhar, és a mais pequena e ao mesmo tempo a MAIOR. Já não existem palavras que descrevam o que eu sinto, já não existem conversas suficientes para a nossa amizade se tornar mais forte, porque mais forte que isto já não existe.
"My life is brilliant.
My love is pure.
I saw an angel.
Of that I'm sure."
Ana, minha princesa. Amo-te hoje e eternamente. Porque duas pessoas não são eternas, mas um sentimento é sempre eterno.

segunda-feira, 4 de abril de 2011


Hoje olhei para trás, olhei com a esperança que ainda estivesses lá. Olhei porque para mim o nosso amor não foi em vão, olhei porque a traição me passou ao lado, olhei porque o meu perdão sorrio. Nunca prometi que cumpriria as minhas promessas, nunca prometi que sempre te iria perdoar, nunca prometi que nunca iria sofrer, nunca te prometi um para sempre, nunca prometi seguir sem olhar para trás, nunca prometi amor profundo, nunca te garanti um lugar no meu coração e mesmo assim tiveste um bem grande. Nunca te deixei para trás, porque nunca prometi que irias ficar pelo caminho, nunca te abandonei, porque nem tu o mereces-te. Nunca te deixei de amar, porque como eu amei, só se ama uma vez. Nunca prometi que nunca irias ser substituído e mesmo assim não o consigo fazer, porque por mais pessoas que passem na minha vida nunca nenhuma terá o mesmo valor que tu tiveste para mim. Nunca nenhumas palavras tiveram tanto sentido como as que eu te disse, nunca nenhum momento me fez tão feliz como os momentos que eu tive contigo, nunca nenhum amo-te teve tanto valor como os nossos. Nunca nada fez tanto sentido na minha vida, como tu fizeste. Já nada me resta para te dar, dei tudo de mim e nada. Foste o príncipe do meu castelo, aquele que procurei durante uma infância tormenta, por quem eu chorei, sorri e também me orgulhei. Por quem me apaixonei, foste o homem da minha vida e em dois dias conseguiste fazer deste sentimento, um zero. Tudo se desmoronou, todas as barreiras caíram, todas as angústias subiram pelo poço acima, todas as seguranças acabaram e a confiança deixou de existir. A traição sempre foi o pior inimigo do amor e conseguiste com que essa mesma fizesse do meu amor, o teu pior inimigo. Foste quem me fez amar e também quem me vez voltar a continuar. ainda te posso dizer, amo-te e obrigada por tudo.

domingo, 3 de abril de 2011

Explosão de emoções



Ontem olhei para o céu e perguntei-me a mim mesma porquê?! porque é que tudo tem de ser assim, já traçado... Porque é que as coisas são assim tão lineares e tudo é deixado para trás? E assim continuei, até que dei por mim no meio de um mar de perguntas, ilusões, frustrações e revolta...foi aí que me dei perdida no meio de tanta revolução...As coisas são assim, já traçadas, já escritas, pintadas e desenhadas. Caminhos por escolher, mas a meta já criada...Ambições e sonhos pelo meio, obstáculos até atingir-mos esses tais sonhos e o mundo vai girando à nossa volta sem que nós aperceba-mos disso. E a vida vai passando, os sonhos vão perdendo esse significado e vão-se tornando realidade, mas muitos, muitos ficam para trás e já não passam disso mesmo, de sonhos. Eu, eu sempre fui igual a todas as outras pessoas, com os meus sonhos, as minhas ambições, as minhas perdas e mágoas. Sempre fui miúda de ir em frente, mas também já caí, já fui derrubada, já me levantei e já derrubei o inimigo. Também já amei, já fui amada, já magoei e já fui magoada. Já vivi uma ilusão e já acordei na desilusão. Já fui criança e já me revelei mulher. E tal como eu, existem milhões. Todos os dias um amor sofre o fim, todos os dias alguém caí e outro se levanta, todos os dias um é derrubado e outro derruba alguém. Todos os dias há mágoas e alegrias, todos os dias uns sofrem e outros fazem sofrer e assim se resume a nossa vida. Um mundo de emoções e contra-emoções, um mundo de sonhos e de realidades, um mundo de ilusões e desilusões. E assim foi, é e será, até a "janela se fechar".

quarta-feira, 23 de março de 2011

desabafo

E quantas vezes caímos com medo de nunca chegar ao fim? e quantas vezes sentimos necessidade de ter alguém por perto e o alguém que temos não é a pessoa que desejamos? e quantas vezes gritamos em silêncio e choramos desesperadamente à espera de um alguém que talvez nunca virá? e quantas vezes já nos iludimos com pessoas que acabam sempre por nos desiludir? e quantas vezes olhamos para trás com a esperança que alguém viria atrás de nós? e quantas vezes deixamos o orgulho de lado para não perdermos a pessoa que mais amávamos? e quantas vezes esse alguém já nos quebrou e voltou com as mesmas lengalengas de sempre? e quantas vezes perdoámos erros imponderáveis? e quantas vezes esses erros dobraram-se em dois e envolveram-nos numa tormenta dor profunda? e quantas vezes os momentos não foram suficientes? e quantas vezes abraçamos alguém a pensar noutra pessoa? e quantas vezes magoámos alguém inocente para esquecer outra pessoa, que ao contrário é tão culpado como nós? e quantas vezes fomos levados à fogueira sem ter-mos feito nada? e quantas vezes fomos acusados de "crimes" feitos por outras pessoas? e quantas vezes já sentimos necessidade de chorar para não desistir? e quantas vezes já tentámos desistir por não termos forças? Palavras em vão, momentos termináveis, lembranças levadas com o vento, dores profundas e mágoas intermináveis. Sentimentos destruídos e sonhos por realizar, viagens ao infinito cortadas e algo deixado para trás. É sempre preciso bater com a cabeça mais vezes do que imaginamos, porque só assim é que aprendemos. Os erros fazem-nos crescer e as pessoas fazem ainda mais. Os amores vem e vão, as desilusões criam-se, os amigos são eternos e paixão, paixão só há uma, a primeira e mais nenhuma.

"When break heart" by Carla Carvalho

Model: Inês Furtado





terça-feira, 8 de março de 2011

"O que é o amor?"

"I may have been forgotten, but I never forgot"

"i love you and i never let you go"


"you know but pretend do not you know"

segunda-feira, 7 de março de 2011

o que é o amor?


Não consigo perceber, chama-se amor, aquele sentimento que tanto falam, tanto planeiam e desmarcam. Não é apenas uma palavra bonita de um poema repleto de melodia, é um sentimento ora provoca felicidade ora dor, ora nos deixa bem, ora nos deixa mal. Tentei pesquisar, mas ninguém me soube explicar, tantos significados para uma simples palavra. É capaz de deixar qualquer um na mão, é capaz de levar o mais forte, ao fracasso. É uma palavra como a guerra, fácil de começar e complicada de terminar. É um sentimento existente no meio humano, sentimento inexplicável e memorável. Uns comparam com felicidade, outros com tragédia. Nunca vi amor falado sem uma lágrima derramada no fim. Mas o que é o amor e o que é que ele significa? Querer ter alguém nos braços, querer ver alguém constantemente e acordar com lágrimas nos olhos de tanta saudade. Mas o que é isto e o que é que isto significa? Um sentimento verídico nunca antes visto e nunca antes sentido.


Texto realizado com partes de música: Dama Bete - amor

domingo, 6 de março de 2011

imaginação


Vivo assim, entre este céu e o mar formado por mil bolas de sabão, entre este chão de mil e umas cores. Vivo assim, por entre os meus sonhos, por entre o que eu sou e o que quero ser, vivo entre ficar e partir. Vivo repleta de mil risos e entre-risos. Vivo entre mim e entre os outros, vivo entre escolher e desistir, vivo entre o caminho e o fim. Vivo entre o que há para viver e o que já vivi, vivo entre as lembranças e recordações, vivo entre o que quero viver e o que nunca irei viver, vivo entre nuvens feitas de algodão e rios de sonhos cor-de-rosas. Vivo entre a minha vida e a vida de todos, vivo entre o amar e o odiar, vivo entre a realidade e a imaginação. Mil ondas de sol virão chamar-me e viver comigo. E se um dia eu tiver de ir, virás comigo. E se um dia pensares em desistir, levanta a cabeça. E se um dia vires que tudo tá parado e chorares por aqueles que te magoaram, levanta-te e sonha o mais alto que poderes, sorri para a vida senão ela nunca irá sorrir para ti. Fecha os olhos e foge dos teus medos, viaja no teu intimo e descobre quem és tu. Risca a frase que dita o teu futuro e escreve-a ao longo das tardes de sol. Dá o pouco que tens e receberás o pouco que eles têm. Deixa os pensamentos negros irem embora e prende a tua imaginação. Recebe os erros e destrói-os, sopra rumo à felicidade. Não prometas se sabes que não consegues cumprir, não jures senão tens forças suficientes para suportar as juras. Tu és o teu próprio tempo e se não te dizem que te amam é porque deve estar mesmo à vista.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

um alguém

Trouxeste na tarde de verão o sol que havia em mim, trouxeste do escuro da noite a esperança que tinha, trouxeste do teu corpo o ar que eu respirava, trouxeste dos teus sentidos o que eu era e o que sou, trouxeste do teu sorriso o meu desejo e o meu viver. Eras o coração que me fazia fazer sentido, cada momento fez com que eu me encontra-se cada vez mais. Tudo mudou, da tarde de verão trouxeste a escuridão, da escuridão da noite, trouxeste a tristeza, do teu corpo, trouxeste palavras em vão, dos teus sentidos, lembranças e do teu sorriso, prisão. Fizeste com que nascesse algo dentro de mim, revolta, pressão, desilusão, saudade e acima de tudo, solidão. Foste a pessoa que me deu a mão quando todos me viraram as costas, foste a pessoa que me fez sentir perfeita no meio da multidão e com tudo na mão. Foste quem esteve do meu lado quando caí, foste tu que me levantas-te quando me derrubei, foste tu que destruís-te as barreiras que eu tinha de mim mesma, foste tu que me fizeste compreender muita coisa e foste tu que te tornas-te a melhor pessoa que eu tinha. Nunca soube realmente o verdadeiro sentido da palavra "saudade", nunca soube o que era precisar tanto de uma única pessoa, de uma única amizade. Nunca soube o que era esperar por alguém que se tinha ido embora, nunca soube o que era correr e acabar por ser tudo em vão. Nunca soube olhar para todo o redor e sentir-me sozinha porque alguém se tinha ido com o vento, como um pequeno grão de areia no meio de um deserto. Tal e qual como as ondas quando embatem nas rochas não voltam a ser as mesmas, nós não voltaremos a ser os mesmo, pois o nosso embate foi forte demais e quando tentei recuperar do embate, deparei-me sozinha, como se tivesse batido sozinha. Como foi doloroso olhar para trás e saber que tudo o que fiz foi em vão, como foi angustiante saber que tinha sido substituída, como se substitui uma caneta quando fica sem tinta. Aprendi finalmente que nada é para sempre, tudo é em vão, de nada nos vai servir o tanto se esse tanto no fim vai ser nada. Aprendi a cair e a levantar-me sozinha. Aprendi a apanhar todas as peças do quebramento. Aprendi que nem tu eras eterno, mas que o meu sentimento por ti foi o mais verdadeiro e será.
Tumblr_l3wd7xvnfc1qb1kaao1_500_large

domingo, 20 de fevereiro de 2011

lembrança


Foi num dia, num dia incerto que tudo mudou, tentei correr para te agarrar, mas algo me estava a prender, seriam os teus erros? as tuas atitudes? Tentei esquecer-me de tudo isso e voltei a tentar agarrar-te, mas as razões eram tão fortes que me impossibilitavam de correr. Tornaste-te numa lembrança metaforizada, cheia de momentos de alegria e até momentos que nem sequer quero mencionar. Tornaste-te em algo memorável para o resto da vida, vi-te afundar e não tive como te puxar para cima, na verdade tu nem sequer quiseste remar contra a maré, limitaste-te a ver a transformação de uma amizade numa lembrança, uma palavra bastante utilizada para metaforizar todos aqueles momentos que ficaram no passado e que não voltarão a ser vividos. Uma palavra repleta de saudade, tristeza, remorso, erros e mais erros, mas uma palavra vivida eternamente. Por momentos pensei que nada disto podia ser real e mais uma vez voltei a correr para te agarrar e fui apunhalada pela aquela tal força que me agarra e não me larga, talvez seja pelo simples facto de esta saber que o melhor mesmo é deixar partir quem já não tem remédio possível. O teu próximo passo será a auto-destruição sem reconstrução possível. Deitas-te fora palavras e deixas-te momentos voarem com o vento, como uma onda que embate na rocha e nunca volta a ser a mesma. Deixas-te partir uma lembrança que se irá reflectir no teu futuro.

sonho


Já estive mais longe, mais longe de atingir o meu sonho. Andar por aí, sem ninguém, com apenas aquele objecto ao pescoço, percorrer meio mundo e captar cada passo que dou, ser livre por pequenos meses. Parar num banco de um jardim algures por Nova York e captar cada expressão que vejo, cada pormenor que por mais simples que seja, dará uma boa fotografia. Já estive mais longe desse mundo. Como é bom sentir-me reconhecida pelos pequenos trabalhos que faço, como é bom poder sonhar um dia ser como aqueles grandes fotógrafos contemporâneos que são reconhecidos pelo seu bom trabalho. Dizem que isto é fácil e que qualquer um fazia, é a maior estupidez de sempre, tem de se ter amor ao que se faz, tem de se pensar antes de agir e um pequeno clique pode fazer uma grande diferença. Muita gente ainda me critica, falam disto como se fosse uma coisa já sem futuro, sem lógica, uma parvoíce mas a essas pequenas pessoas eu digo, um dia, quando eu andar pelas grandes ruas do reconhecimento pelo meu trabalho vocês serão as primeiras pessoas que eu irei por para trás das costas...Eu luto pelos meus sonhos e vocês? vocês limitam-se a ser o que os outros querem que vocês sejam. Eu mesmo que um dia caia ficarei feliz por um dia ter lutado pelo que realmente me faz feliz, isso vos garanto.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

nova geração

Hoje em dia quer tudo ser como o amigo do lado, quer tudo ter aquele cabelinho para o lado, aqueles ténis que estão tão na moda e até o típico piercing no nariz. Hoje em dia é tudo agarrado a modas e mais modas, a estilos que criam grupos de amizades e amizades que criam estilos. Hoje em dia já julgam pessoas pelo que vestem ou então até criam amizades só porque aquela pessoa tem aqueles ténis lindos que já não se encontram nas lojas. Hoje em dia a tua maneira de ser já não importa, os teus gostos são ridículos e até as tuas opiniões não valem de nada. Hoje em dia um piercing ou uma tatuagem já faz de uma pessoa o boato do dia. Hoje em dia as típicas boas pessoas são aquelas que se vestem minimamente bem (no ponto de vista da sociedade), são aquelas que têm notas acima do esperado, são aquelas que sorriem para toda a gente e aquelas a que se dizem "sociais" e no meio disto tudo, já não és tu e sim um boneco que a humanidade criou, já não és quem queres ser, mas sim uma personalização. Abre os olhos de vez, enfrenta a sociedade, ergue-te, sonha o mais alto que poderes, realiza esses mesmo sonhos, vive o teu momento, sê tu e não aquele retrato que pintam. Cria as tuas próprias cores, sê original. Não te deixes levar como um cata-vento, não te deixes iludir com falsas amizades, falsos caracteres, que te apunhalam pelas costas se te vêm um pouco mais diferentes que eles. A vida és tu, as escolhas são tuas, o futuro és tu que o crias, desenha o teu caminho e um dia serás finalmente aquele sonho que tiveste em criança!

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

peças de um coração que destruís-te só por ironia


Eu poderia dizer que não me foste nada, que só te usei para esquecer outra pessoa, que foste apenas uma diversão, que tudo o que disse era falso, poderia dizer que não me magoas-te e que as lágrimas foram puro teatro, mas estaria a ser como tu, estaria a mentir-me a mim mesma para não me humilhar perante o teu ser, estaria a criar uma barreira de mentiras e de mais desgostos. Foste um grande porto de abrigo, uma grande força numa altura que nem comigo mesma eu aguentava, foste amor, foste os braços que me acolheu naquele momento e acredita que nunca poderei ter modos de agradecer, mas e depois? Depois vieram as ilusões, os sentimentos falsos, dizias que me amavas e na verdade nem sabias o que é que essa palavra significava e isso sim, foi o que mais me magoou no meio disto tudo. Esperei horas a fio por ti e tu nunca apareces-te e voltas-te a destruir tudo, mais uma vez. Criei expectativas em cima de ti, acreditei que podias mudar, acreditei que juntos iríamos ultrapassar qualquer barreira, mas enganei-me. Dizem que cada pessoa merece duas oportunidades e eu acreditei que merecesses mais 1 dessas tantas, mas voltei a cair, voltei a magoar-me, voltei a chorar...Eu acreditei em ti e em nós, acreditei que aquele dia poderia mudar tudo, mas nunca foste homem suficiente para me encarar e foste covarde, covarde ao ponto de voltares a imaginar um sentimento que para mim já estava mais que acabado. Aquele dia foi definitivo, eu só precisava de bater com a cabeça mais uma vez, de cair, de chorar o que não tinha chorado, de desiludir-me mais uma vez para acreditar que no meio disto tudo, eu amava e tentava amar pelos dois, coisa que só se faz por amor. Nunca te deixei cair e isso deixa-me orgulhosa, nunca te deixei mesmo sabendo os caminhos que seguiste, mas também nunca disse que os achava correctos e sabes bem disso. Tenho orgulho pelo que fiz por nós, tenho orgulho pelo que fiz por ti, fez-me crescer muito. Agora que finalmente abri os olhos é que tu olhas-te para trás e vis-te que realmente o que eu fiz por ti, mais ninguém o fez nem o fará. Agora és tu que choras, és tu que sofres, és tu que caís e acredita, por muito que tenha acontecido, não te deixarei afundar...

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

reconstrução

Ás vezes tudo é difícil, ás vezes defrontam-nos os obstáculos mais monstruosos de sempre, ás vezes olhamos para trás e pensamos que não somos capazes de deixar aquilo ali, ás vezes tudo nos parece obscuro que acabamos por cair e quando isso acontece temos sempre a tendência de achar que nunca mais nada vai sobreviver na nossa vida, de achar que tudo o que é mau é nosso e o que é bom é das pessoas que o menos merecem. Temos tendência a pensar que nunca mais vamos conseguir ser os mesmos, temos tendência a criar medos, inseguranças e tudo mais. Mas será que tudo isso vale a pena? vale a pena chorar por coisas passadas? vale a pena deitar lágrimas depois de ter acontecido? mudará alguma coisa? não. Apenas nos estará a atirar mais para o fundo, porque tudo o que foi já não é e tudo o que é não foi. E quando isto tudo nos passa pela cabeça algo de bom acontece, alguém aparece e é quando tudo isto não passam de frases escritas na nossa mente, pesadelos criados pelo nosso sofrimento, tristezas alimentadas pelas nossas lágrimas e tudo se resume a nada. Um novo capitulo se segue, uma nova reconstrução e o resto? o resto está para vir.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

WANT


Eu quero fugir, eu quero nascer. Eu quero voar, quero sonhar. Eu quero ser livre, quero desaparecer. Eu quero poder ser eu, sem preconceito, sem máscara. Eu quero saber como é sentir-se amada, de corpo e alma. Eu quero amar alguém e quero que esse alguém me ame a mim também. Eu quero esquecer o passado, quero viver o presente e quero esperar pelo futuro. Eu quero reconquistar aquilo que perdi, quero reencontrar as pessoas que nunca mais vi. Quero ver o que ainda não vi, quero arrancar as correntes que me envolvem e por um dia só, quero sentir isto tudo.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

you and I



O amor, parecendo que não, o amor para nós está presente em todo o lado e até há quem acredite em amor 'á primeira vista'. Não acredito nisso, acredito em palavras, momentos, olhares e sentimentos que nascem, não acredito naquelas pessoas que tem 30 namorados ao longo da infância e a todos dizem que amam, não acredito naquelas raparigas que dizem que encontraram a pessoa certa, pois decerto daí a uns meses já nem sequer se lembram dessa mesma pessoa. Não acredito que duas pessoas fiquem eternamente juntas, mas acredito num sentimento eterno, acredito que as pessoas se podem ir com o vento, mas o sentimento nunca, nunca vai. Pois por mais longe que a pessoa esteja de quem ama não deixa de sentir saudades, de pensar nas primeiras vezes que estiveram juntos, nas conversas, nos sorrisos, nos olhares, simplificando, não deixa de pensar nela. Muitas pessoas passaram por mim e admito que já disse várias vezes que tinha encontrado a pessoa certa, mas acabei por sair sempre magoada, traída ou até apunhalada pelas costas. Histórias do passado, recordações boas e más. Tive muitas certezas e incertezas, hoje, a maior certeza da minha vida és tu, quando tudo caiu, quando pensei que o mundo para mim tinha acabado, quando jurei não voltar a gostar de mais ninguém, quando chorava noites inteiras a pensar no que tinha errado, quando sofria por quem menos merecia, tu apareces-te. Apareces-te do nada, nem me consigo recordar o porquê e como. Não me lembro de ti em concreto, lembro-me vagamente do primeiro minuto que te vi. Foi tão difícil recuperar da última queda, foi tão difícil acordar do último pesadelo, foi tão difícil deixar para trás todo o caminho que construí, foi tão difícil por para trás das costas as mágoas, mas tu, tu ajudaste-me, acordas-te e fizeste nascer nas lágrimas, sorrisos. Muita gente critica, fala mal, abusa, diz que é o erro, mas o que é certo é que quando precisei dessas pessoas elas não estavam lá e para além disso foram as que mais me machucaram e tu não, tu estavas lá e a ti, a todo o teu amor e companhia eu mando um grande OBRIGADO. único e sincero. Amar-te? Desculpa, mas amar-te já é pouco.